Curta-metragem "A Moça Que Dançou com o Diabo" do Grupo Kino-Olho Na Palma de Ouro


O curta-metragem "A Moça Que Dançou com o Diabo", do Grupo Kino-Olho de Rio Claro, foi selecionado para disputa da Palma de Ouro, prêmio máximo do Festival de Cinema de Cannes.

  
De mais de 5 mil curtas inscritos (400 a mais que no ano passado), foram selecionados apenas 10, incluindo a produção de Rio Claro, interior de São Paulo. A última produção feita no Brasil indicada à Palma De Ouro foi o longa-metragem Linha De Passe, em 2008. Na ocasião o filme levou o prêmio de Melhor Atriz para Sandra Corveloni. Apenas em 1962 o Brasil ganhou o prêmio máximo, com O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte.

"As expectativas eram grandes, porque eu sei que a ‘Moça’ é um filme mais aprimorado e maduro que ‘Command Action’, mas chegar à Palma de Ouro foi uma surpresa porque é uma seleção muito criteriosa e concorrida", explica o diretor João Paulo Miranda, que recebeu a notícia nesta semana. 


Este é o segundo ano consecutivo que um curta do Grupo Kino-Olho é escolhido para o festival em mostras competitivas: em 2015 "Command Action" participou da Semana da Crítica. Repetir o feito e ainda entrar para a seleção mais difícil da Palma é uma conquista que demonstra o quanto o trabalho do grupo está avançado e valorizado. 


Gravado em novembro de 2015, o filme enfrentou dificuldades financeiras e o grupo tentou financiamento através de editais estaduais, sem sucesso. Assim os realizadores recorreram às rifas com o comércio local e arrecadaram R$ 500. Agora outros gastos devem ocorrer para que características técnicas de som e formato atendam às exigências do Festival de Cannes para exibição. Esta etapa de finalização deve custar em torno de R$ 10 mil. 


"Estamos abertos às parcerias com empresas para finalizar essa parte, para preparar o material exigido, que inclui kit para a imprensa, padronizar o som para a exibição, cópias, legendagem, entre outros itens", diz João Paulo. 


O Festival de Cannes acontece entre 11 e 22 de maio.


Sinopse:
Uma releitura contemporânea de um lenda do interior paulista, contada há mais de cem anos. A adaptação trata de uma menina que vive o conflito entre a religião e suas descobertas da adolescência.







Ficha técnica:


Foto: Michael Willis

Direção e roteiro: João Paulo Miranda 
Produção: Claudia do Canto

Produção Executiva: Fernanda Tosini

Direção de Som: Léo Bortolin
Direção de Fotografia: Thiago Ribeiro Pereira
Direção de Arte: Marina Butolo

Elenco: Aline Rodrigues e Karolina Carbinatto.

3 comentários:

  1. Parabéns, espero que consigam o patrocínio que estão precisando. Fico feliz em saber que alunos da EE Odilon Correa, de Rio Claro participou do filme.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, espero que consigam o patrocínio que estão precisando. Fico feliz em saber que alunos da EE Odilon Correa, de Rio Claro participou do filme.

    ResponderExcluir